Propriedades físico-mecânicas da madeira de Chrysophyllum marginatum

Propriedades físico-mecânicas da madeira de Chrysophyllum marginatum
QR Code

Propriedades físico-mecânicas da madeira de Chrysophyllum marginatum

Esse estudo objetivou avaliar as propriedades físico-mecânicas da madeira de Chrysophyllum marginatum (Hook. e Arn.) Radlk. Foram utilizadas três árvores com 20,3 ± 6 cm de diâmetro. Por regressão, determinou-se a variação no sentido base-topo de retratibilidade, coeficiente anisotrópico, teor de um...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Pesquisa Florestal Brasileira
Main Author: Jussan Albarello de Cezaro
Other Authors: Rômulo Trevisan;
Rafaelo Balbinot
Palabras clave:
Language: Portuguese
Get full text: http://pfb.cnpf.embrapa.br/pfb/index.php/pfb/article/view/884
Resource type: Journal article
Source: Pesquisa Florestal Brasileira; Vol 36, No 86 (Year 2016).
DOI: http://dx.doi.org/10.4336/2016.pfb.36.86.884
Publisher: Embrapa Florestas
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Sciences --> Biodiversity Conservation
Sciences --> Biology
Sciences --> Environmental Sciences
Applied Sciences --> Agriculture, Multidisciplinary
Applied Sciences --> Agronomy
Applied Sciences --> Forestry
Abstract: Esse estudo objetivou avaliar as propriedades físico-mecânicas da madeira de Chrysophyllum marginatum (Hook. e Arn.) Radlk. Foram utilizadas três árvores com 20,3 ± 6 cm de diâmetro. Por regressão, determinou-se a variação no sentido base-topo de retratibilidade, coeficiente anisotrópico, teor de umidade saturado e massa específica básica. Para caracterizar a flexão estática na primeira tora, nas condições úmida e seca ao ar, foi realizada análise de variância pelo teste de Tukey. Observou-se decréscimo das contrações radial e tangencial e da massa específica básica da madeira no sentido base-topo, inversamente ao teor de umidade saturado, que apresentou uma variação crescente. Na análise do coeficiente anisotrópico, verificou-se uma tendência de acréscimo até 1,30 m de altura, seguido de estabilização a partir dessa posição até o topo. A contração longitudinal apresentou tendência de decréscimo até, aproximadamente, 40% de altura, seguido de acréscimo até a altura de inserção do primeiro galho vivo. As médias do coeficiente anisotrópico e da massa específica básica foram 2,3 kg m-3 e 594 kg m-3, respectivamente. A condição de umidade seca ao ar apresentou maior resistência à flexão estática do que quando saturada e os valores dos módulos de elasticidade e de ruptura foram semelhantes aos encontrados em estudos de Eucalyptus saligna e Carya illinoinensis.Physical and mechanical properties of Chrysophyllum marginatum woodThis study aimed to evaluate the physical and mechanical properties of the wood of Chrysophyllum marginatum (Hook. And Arn.) Radlk. We used three trees with 20.3 ± 6 cm of diameter. It was determined by regression analysis the variation bottom-up of shrinkage, anisotropic coefficient, saturate moisture content and basic density. To characterize the static bending in the first log, in saturate and air dried conditions, it was performed variance analysis using Tukey›s test. It was observed a decrease in radial and tangential contractions and basic density on bottom-up direction. Saturate moisture content increased, considering the same direction. Anisotropic coefficient presented increase tendency up to 1.30 m height followed by stabilization from that position to the top. It was observed decreasing tendency of longitudinal contraction to approximately 40% of total height, followed by increasing up to the insertion of the first living branch. Mean anisotropic coefficient and basic density were 2.3kg m-³ and 594 kg m-³, respectively. Air dry condition showed greater static bending resistance than when saturate. Values of rupture and elasticity modulus were similar to those found in studies with Eucalyptus saligna and Carya illinoinensis.Index terms: Shrinkage; Anisotropic coefficient; Static bending