Estresse em pacientes submetidos a tratamento antineoplásico Stress in patients submitted to drug therapy

Estresse em pacientes submetidos a tratamento antineoplásico Stress in patients submitted to drug therapy
QR Code

Estresse em pacientes submetidos a tratamento antineoplásico Stress in patients submitted to drug therapy

 Objetivo: Avaliar o nível de estresse de pacientes que estavam recebendo tratamento antineoplásico, quais os estressores referentes a essa situação e examinar a relação do mesmo com variáveis sociodemográficas e da doença oncológica. Método: Estudo descritivo, exploratório, com abordagem quantitati...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Patrícia Peres de Oliveira
Other Authors: Andrea Bezerra Rodrigues;
Lúcia Pinel Talignani Ferreira;
Claudia Sales Manzan;
Ione Araújo;
Magali Kimie Buno Hiratsuka
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/4692
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 8, No 2 (Year 2016).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i2.4487-4500
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract:  Objetivo: Avaliar o nível de estresse de pacientes que estavam recebendo tratamento antineoplásico, quais os estressores referentes a essa situação e examinar a relação do mesmo com variáveis sociodemográficas e da doença oncológica. Método: Estudo descritivo, exploratório, com abordagem quantitativa, realizado em um ambulatório de onco-hematologia de um hospital privado, de grande porte, localizado no município de São Paulo. Utilizou-se um formulário que continha informação sociodemográfica e instrumento para a avaliação do estresse (Inventário de Sintomas de Estresse de Lipp). Resultados: a maior parte dos participantes do sexo feminino (56,0%), com idade entre 41 a 50 anos (34,0%), apresentava câncer gastrointestinal (31,0%), 78,0% dos pacientes apresentaram estresse, sendo a náusea e a alopecia os efeitos colaterais mais citado pelos entrevistados, ambos com 16,0%, tornando-se os maiores estressores no tratamento. Conclusão: Uma proporção importante de pacientes sofria de estresse. Destarte, torna-se essencial o acompanhamento da enfermagem a esses pacientes que conduza a enfrentar melhor a neoplasia.