O estresse de enfermeiros atuantes no cuidado do adulto na unidade de terapia intensiva

O estresse de enfermeiros atuantes no cuidado do adulto na unidade de terapia intensiva
QR Code

O estresse de enfermeiros atuantes no cuidado do adulto na unidade de terapia intensiva

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) mesmo havendo a centralização de recursos materiais e humanos com elevados padrões de qualidade, é um setor marcado por imprevistos e incertezas que possam ocasionar o estresse. O estudo objetivou descrever os fatores estressantes que prejudicam a saúde dos enfer...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Vinícius Rodrigues de Souza
Other Authors: Jorge Luiz Lima da Silva;
Mariana Ribeiro Lopes;
Beatriz Peres Silva;
Lia Cristina Galvão dos Santos;
Juliana Maíse dos Santos
Traslated keyword:
;
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1687
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 4, No Suplemento (Year 2012).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2012.v0i0.25-28
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) mesmo havendo a centralização de recursos materiais e humanos com elevados padrões de qualidade, é um setor marcado por imprevistos e incertezas que possam ocasionar o estresse. O estudo objetivou descrever os fatores estressantes que prejudicam a saúde dos enfermeiros que atuam no cuidado do adulto nas UTI, e possíveis medidas para reduzir esses estresses apontados pela literatura. Trata-se de uma pesquisa de natureza descritiva realizada através de revisão bibliográfica sistematizada utilizando-se de artigos publicados na Biblioteca Virtual de Saúde e em demais bibliotecas: Lilacs, Bdenf e Scielo entre os anos 2004 e 2010. Os resultados mostraram que os fatores predisponentes ao estresse foram: escassez de recursos humanos e materiais, sobrecarga de trabalho, desvalorização profissional, insatisfação no trabalho, falta de trabalho em equipe, baixos salários, dentre outros. Conclui-se que é de extrema importância para o enfermeiro saber identificar os possíveis fatores estressores vivenciados por ele e sua equipe, providenciando medidas que amenizam o estresse como provar para as chefias que para se prestar uma boa assistência necessita-se ter em mãos recursos humanos e matérias favoráveis, um ambiente adequado, uma valorização profissional e trabalho em equipe, evitando assim uma sobrecarga de trabalho.