Equação de volume para apoio ao manejo comunitário de empreendimento florestal em Anapu, Pará

Equação de volume para apoio ao manejo comunitário de empreendimento florestal em Anapu, Pará
QR Code

Equação de volume para apoio ao manejo comunitário de empreendimento florestal em Anapu, Pará

O manejo florestal comunitário em áreas de assentamento, no Pará, necessita de ferramentas que forneçam informações confiáveis sobre o potencial madeireiro da área, como equações de volume. Foram ajustados cinco modelos volumétricos de simples entrada e cinco de dupla entrada para estimar o volume d...

Full abstract

Saved in:
Translated title: Volume equation as basis of community forest management in Anapu, Pará State, Brazil
Journal Title: Pesquisa Florestal Brasileira
Main Author: Wallacy Ferreira Barreto
Other Authors: Fábio Miranda Leão;
Marlon Costa de Menezes;
Deivison Venicio Souza
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://pfb.cnpf.embrapa.br/pfb/index.php/pfb/article/view/721
Resource type: Journal article
Source: Pesquisa Florestal Brasileira; Vol 34, No 80 (Year 2014).
DOI: http://dx.doi.org/10.4336/2014.pfb.34.80.721
Publisher: Embrapa Florestas
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Sciences --> Biodiversity Conservation
Sciences --> Biology
Sciences --> Environmental Sciences
Applied Sciences --> Agriculture, Multidisciplinary
Applied Sciences --> Agronomy
Applied Sciences --> Forestry
Abstract: O manejo florestal comunitário em áreas de assentamento, no Pará, necessita de ferramentas que forneçam informações confiáveis sobre o potencial madeireiro da área, como equações de volume. Foram ajustados cinco modelos volumétricos de simples entrada e cinco de dupla entrada para estimar o volume de madeira em pé no Projeto de Desenvolvimento Sustentável Virola-Jatobá em Anapu, Pará. Foram cubados, pelo método de Smalian, 172 indivíduos com diâmetro tomado a 1,30 m do solo de 60 a 120 cm e altura comercial de 5,24 a 35 m, de 25 espécies de interesse comercial da comunidade. Utilizaram-se os critérios estatísticos coeficiente de determinação ajustado (R2aj), erro padrão da estimativa (Sxyr), coeficiente de variação (CV), desvio médio percentual (DMP) e a análise gráfica de resíduos para selecionar o melhor modelo de simples e de dupla entrada. O Teste do Qui-quadrado foi utilizado para validar os melhores modelos. O modelo de Husch foi confirmado para estimar o volume de madeira em pé na área de estudo, pela equação logv = 0,7974 + 4,4294logd. Essa equação não utiliza a variável altura comercial, por isso pode gerar menos custos na atividade de inventário e evitar erros que provém da estimativa dessa variável.
Translated abstract: The community forest management in settlement areas, in Pará, needs tools that provide reliable information about wood potential in the area, as volume equations. Five volumetric models of simple entrance and five of double entrance were adjusted to estimate the wood volume of standing trees in the Project of sustainable development Virola-Jatobá in Anapu, Pará State, Brazil. The trees were cubed using Smalian method. The diameter at 1.3 m above soil level was measured in 172 individuals from 25 species with commercial interest by the community. The diameters ranged from 60 to 120 cm and commercial height varied from 5.24 m to 35 m. The statistic criteria used to select the best volume model of simple or double entrance was adjusted coefficient of determination (R2aj), standard error of estimate (Sxyr), coefficient of variation (CV), average deviation percentage (ADP) and graphic residual analysis. Chi-square test was used to validate the best models. Husch model presented the best estimative of wood volume in standing trees in the studied area, through the equation logv = 0,7974 + 4,4294logd. This equation does not use the commercial height variable, so it field inventory cost less and avoid mistakes from the estimation of this variable.