EDUCAÇÃO EM SAÚDE, ELABORAÇÃO DE PLANO DE ALTA HOSPITALAR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

EDUCAÇÃO EM SAÚDE, ELABORAÇÃO DE PLANO DE ALTA HOSPITALAR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
QR Code

EDUCAÇÃO EM SAÚDE, ELABORAÇÃO DE PLANO DE ALTA HOSPITALAR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Renata Costa de Castro, Adriana de Fátima Canela, Silvana Luzia Pereira, Liz de Oliveira Gomes de Amorim, Rita Maria Araujo Costa.DESCRITORES:  Educação em saúde; traqueostomia; gastrostomia.  INTRODUÇÃO: Diante da vivência como residentes de enfermagem, tivemos como base para a construção desse rel...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Adriana Fátima Canela
Other Authors: Renata Costa Castro;
Liz Oliveira Gomes de Amorim;
Silvana Luzia Pereira;
Rita Maria Araújo Costa
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1117
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 2, No Suplemento (Year 2010).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2010.v0i0.%p
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Renata Costa de Castro, Adriana de Fátima Canela, Silvana Luzia Pereira, Liz de Oliveira Gomes de Amorim, Rita Maria Araujo Costa.DESCRITORES:  Educação em saúde; traqueostomia; gastrostomia.  INTRODUÇÃO: Diante da vivência como residentes de enfermagem, tivemos como base para a construção desse relato de experiência o processo de educar em saúde que entendemos como orientações que visam fornecer subsídios para promoção do auto-cuidado ou do cuidado realizado por terceiros. Sendo uma atividade de suma importância realizada pelo enfermeiro, servindo como uma das principais estratégias para a promoção de saúde, não somente no campo da saúde publica, como também no ambiente hospitalar. A idéia para a elaboração dos folderes surgiu durante a nossa permanência nos setores de clínica médica e cirúrgica, que totalizaram quatro meses, onde percebemos a dificuldade dos profissionais de enfermagem em realizarem orientações pertinentes ao manuseio da traqueostomia e gastrostomia. E diante da necessidade encontrada, resolvemos construir um instrumento que guiassem aos profissionais nas orientação dos pacientes que necessitavam desses cuidados, quanto permitisse aos pacientes que pudessem levar essas orientações por escrito e ilustradas para servir como posterior fonte de consulta em situações de dúvida. O conceito de folder consiste em um impresso de pequeno porte, constituído de uma só folha de papel com uma ou mais dobras, e que apresenta conteúdo informativo (Houaiss).  Entendemos como um método didático, ilustrado que fornece orientações claras e concisas a cerca de um assunto específico podendo ser utilizado como um instrumento de educação em saúde. Observamos que os pacientes que obtinham alta hospitalar não detinham o conhecimento necessário para realização do cuidado, o que servia como fonte geradora de estresse e ansiedade, dúvidas essas que poderiam ser sanadas mediante o fornecimento prévio de orientações pelo enfermeiro, minimizando possíveis complicações. O plano de alta hospitalar elaborado, através dos folderes, foi uma maneira de orientar quanto à importância da continuidade do cuidado em seu domicilio, além de melhorar a qualidade da assistência prestada ao paciente.OBJETIVOS: Descrever a experiência de elaborar folderes informativos, como plano de alta hospitalar, direcionados aos usuários e acompanhantes de portadores de gastrostomia e traqueostomia. Verificar através de observação a importância da realização de orientações pela enfermagem utilizando recursos didáticos.METODOLOGIA: Trata-se de um relato de experiência vivenciado como residentes de enfermagem do primeiro ano do curso de pós-graduação em clínica médica e cirúrgica nos moldes de residência de uma universidade federal, tendo como cenário um hospital terciário da rede federal situado no município do Rio de Janeiro, no período de maio á agosto de 2010, nos setores de clínica médica e cirúrgica. Foram realizadas para a elaboração do estudo reuniões semanais, elegendo as quartas-feiras como o dia para  construção, onde utilizávamos uma hora do período da tarde com vista à busca e analise de dados a cerca do tema e  a construção do material informativo. Utilizamos com fonte de pesquisa referencias bibliográfica, artigos e banco de dados virtuais. Com a reunião do material encontrado, partimos para á analise e discussão dos conteúdos selecionando as informações cabíveis ao nosso publico alvo, pacientes, familiares e cuidadores. Sendo necessário adequar a escrita para uma de linguagem clara, objetiva e de fácil entendimento. Posteriormente a esta seleção, iniciamos a busca por figuras que ilustravam a nossa explicação, possibilitando então a montagem dos folderes. Utilizamos os recursos de informática disponíveis para colocar o material formulado em formato de folder.RESULTADOS: Foi possível realizar a construção dos folderes informativos sobre gastrostomia e traqueostomia, que serviram como instrumento didático para auxiliar o enfermeiro na realização de orientações pertinentes ao  plano de alta; bem como fonte de consulta para o esclarecimento de dúvidas dos pacientes, familiares e/ou cuidadores que venham surgir no dia-a-dia na prestação do cuidado. Com os folderes em mãos iniciamos o processo de orientação aos pacientes, familiares e/ou cuidadores, no momento da alta hospitalar, onde eram fornecidas informações individualizadas a beira do leito, demonstrando passo a passo como é realizado o cuidado pertinente ao manuseio da traqueostomia e/ou gastrostomia. Com o intuito de sanar as duvidas, fornecer alternativas para a prática do cuidado no ambiente domiciliar e salientar para os possíveis sinais de complicação. Os folderes eram entregues e as informações reforçadas através das figuras contidas no mesmo. Observamos que a utilização dos folderes informativos serviram como importantes aliados dos profissionais no processo de educação em saúde no momento da alta hospitalar e proporcionaram uma melhor compreensão por parte do nosso público alvo diante do esclarecimento dos cuidados necessários.CONCLUSÃO: Diante da experiência adquirida com a construção dos folderes, concluímos que o mesmo constitui um importante recurso informativo e didático, que pode ser utilizado pelo enfermeiro em suas diversas áreas de atuação como uma estratégia de educação em saúde. Sendo uma atribuição de fundamental importância do enfermeiro, que é um profissional  capacitado a fornecer orientações pertinentes ao cuidado do paciente em vista da melhoria do seu bem estar. Consideramos positivo a aplicação do método didático, pois percebemos que além das orientações verbais, se faz necessário lançarmos mão de recursos que descrevam e ilustrem a realização dos cuidados, para que as informações sejam assimiladas com maior facilidade,  proporcionando um  melhor entendimento. REFERÊNCIAS:BRUNNER & SUDDARTH. Tratado de Enfermagem Médico-círurgica, 10ª Edição, volume 1, Guanabara Koogan, 2006.BARROS & COLS. Anamnese & Exame físico, 2ª Edição, Artmed, 2010.CANDEIAS, et al. Conceitos de educação e de promoção em saúde: mudanças  individuais e mudanças organizacionais . Disponível em http://www.bvsde.paho.org/bvsacd/cd26/fulltexts/0872.pdf. Acessado em 06/08/2010.FIGUEIREDO & VIANA. Tratado Prático de Enfermagem, 1º edição,Yendis, 2006.FIGUEIREDO, et al. Trabalhando educação popular em saúde com a arte construída na cotidiano da enfermagem: um relato de experiência. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/tce/v16n2/a17v16n2.pdf. Acessado dia 06/08/2010.HOUASS. Dicionário da língua portuguesa, 1ª edição, Objetiva, 2001.MINISTÉRIO DA SAÚDE (Brasil), INCA, Divisão de Comunicação Social, Orientações aos Pacientes Traqueostomizados. Disponível em http://www.inca.gov.br/publicacoes/traqueostomizados.pdf. Acessado em: 16/05/2010.  NETINA. Prática de Enfermagem, 8ª Edição, Guanabara Koogan, 2007.