The humanized assistance in parturition: the perception of teenagers

The humanized assistance in parturition: the perception of teenagers
QR Code

The humanized assistance in parturition: the perception of teenagers

Objetivos: identificar as percepções das adolescentes em relação á assistência oferecida no momento do seu trabalho de parto e parto; discutir essas percepções com a assistência humanizada no trabalho de parto e parto. Métodos: trata-se de uma pesquisa descritiva, exploratória, de natureza qualitati...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Pricilla Braga Vargas
Other Authors: Bianca Dargam Gomes Vieira;
Valdecyr Herdy Alves;
Diego Pereira Rodrigues;
Diva Cristina Morett Romano Leão;
Luana Asturiano da Silva
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/3143
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 6, No 3 (Year 2014).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2014.v6i3.1021-1035
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivos: identificar as percepções das adolescentes em relação á assistência oferecida no momento do seu trabalho de parto e parto; discutir essas percepções com a assistência humanizada no trabalho de parto e parto. Métodos: trata-se de uma pesquisa descritiva, exploratória, de natureza qualitativa, com quinze adolescentes/puérperas do alojamento conjunto da Maternidade Oswaldo de Nazareth da cidade do Rio de Janeiro, mediante entrevista semiestruturada e analisado com os preceitos da análise temática, após aprovação pelo Comitê de Ética da SMSDS-RJ, sob nº 223/11. Resultados: permitiu identificar a percepção na atenção da equipe obstétrica, como a importância do acompanhante, sendo um direito da mulher, e a inserção de práticas institucionalizadas, como a medicalização do corpo, restrição de alimentos e banho. Conclusão: isso repercute diretamente no imaginário do processo parturitivo, com na autonomia da mulher perante as suas escolhas livres e informadas.