MENTAL HEALTH ACTIONS DEVELOPED BY HEALTH PROFESSIONALS IN THE PRIMARY CARE CONTEXT

MENTAL HEALTH ACTIONS DEVELOPED BY HEALTH PROFESSIONALS IN THE PRIMARY CARE CONTEXT
QR Code

MENTAL HEALTH ACTIONS DEVELOPED BY HEALTH PROFESSIONALS IN THE PRIMARY CARE CONTEXT

Objetivo: conhecer as ações de saúde mental desenvolvidas por profissionais de saúde, no contexto da atenção básica. Metodologia: Estudo qualitativo, desenvolvido em uma Unidade de Estratégia de Saúde da Família (ESF) de um Município do Estado do Rio Grande do Sul. Utilizou-se a entrevista semi-estr...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Veronica de Campos Magalhàes
Other Authors: Leandro Barbosa de Pinho;
Annie Jeanninne Bisso Lacchini;
Jacó Fernando Schneider;
Agnes Olschowsky
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1897
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 4, No 4 (Year 2012).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2012.v4i4.3105-3017
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivo: conhecer as ações de saúde mental desenvolvidas por profissionais de saúde, no contexto da atenção básica. Metodologia: Estudo qualitativo, desenvolvido em uma Unidade de Estratégia de Saúde da Família (ESF) de um Município do Estado do Rio Grande do Sul. Utilizou-se a entrevista semi-estruturada, aplicadas a quatro profissionais. Resultados: As seguintes temáticas foram identificadas: as ações em saúde mental desenvolvidas na ESF e as dificuldades enfrentadas pelos profissionais para trabalhar com saúde mental na ESF. As principais ações de cuidado em saúde mental na atenção básica se estruturam a partir do acolhimento e do vínculo com usuários e famílias, permitindo ao trabalhador conhecer melhor o território onde vive o sujeito.Conclusão: O estudo possibilita repensar processos de trabalho não apenas na ESF, mas incentivando a rede como espaço produtor de novas perspectivas e caminhos de cuidado às pessoas com sofrimento psíquico.