LIVING WITH THE HIV/AIDS CARRIER: OPINION OF CARNIVAL PARTICIPANTES

LIVING WITH THE HIV/AIDS CARRIER: OPINION OF CARNIVAL PARTICIPANTES
QR Code

LIVING WITH THE HIV/AIDS CARRIER: OPINION OF CARNIVAL PARTICIPANTES

Objetivo: Identificar a opinião das pessoas em relação a convivência com os portadores do HIV. Métodos: Tratou-se de uma pesquisa descritiva em abordagem quantitativa, realizada no Rio de Janeiro, em 2011. A amostra foi composta aleatoriamente por 630 integrantes dos desfiles das escolas de samba, p...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Márcio Tadeu Ribeiro Francisco
Other Authors: Thelma Spindola;
Elizabeth Rose Costa Martins;
Cristiane Maria Amorim Costa;
Vinícius Rodrigues Fernandes da Fonte;
Carina D'Onofrio Prince Pinheiro
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/2635
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 5, No 4 (Year 2013).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2013.v5i4.510-518
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivo: Identificar a opinião das pessoas em relação a convivência com os portadores do HIV. Métodos: Tratou-se de uma pesquisa descritiva em abordagem quantitativa, realizada no Rio de Janeiro, em 2011. A amostra foi composta aleatoriamente por 630 integrantes dos desfiles das escolas de samba, pela aplicação de uma entrevista com roteiro estruturado. Os dados foram tabulados, organizados e analisados com auxílio da estatística descritiva. Sendo aprovado pelo CEP da Universidade Veiga de Almeida número 270/11. Resultados: A maioria dos entrevistados não teriam relações sexuais protegidas com um portador de HIV/Aids, consideram que essa pessoa deve sempre trabalhar e não se precupariam de seu filho estudar com um portador do vírus. Conclusão: Os resultados sinalizam que a convivência com uma pessoa acometida pelo HIV no trabalho ou escola, tem aceitação maior do que a manutenção do relacionamento sexual, sendo oportuno ressaltar a importância da desmitificação da temática.