Clinical and epidemiological aspects of visceral leishmaniasis in children

Clinical and epidemiological aspects of visceral leishmaniasis in children
QR Code

Clinical and epidemiological aspects of visceral leishmaniasis in children

Objetivo: descrever o perfil clínico e epidemiológico da Leishmaniose Visceral (LV) em crianças internadas em um hospital de Fortaleza-CE. Métodos: Pesquisa documental e retrospectiva realizada no período de janeiro de 2002 a dezembro 2009. Foram avaliadas variáveis como: casos por ano, idade, peso...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Lívia Moreira Barros
Other Authors: Rosa Aparecida Nogueira Moreira;
Thiago Moura de Araújo;
Natasha Marques Frota;
Joselany Afio Caetano;
Ana Claúdia Lima Feitosa
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/3120
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 6, No 3 (Year 2014).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2014.v6i3.966-975
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivo: descrever o perfil clínico e epidemiológico da Leishmaniose Visceral (LV) em crianças internadas em um hospital de Fortaleza-CE. Métodos: Pesquisa documental e retrospectiva realizada no período de janeiro de 2002 a dezembro 2009. Foram avaliadas variáveis como: casos por ano, idade, peso e sintomas. Foi calculado o coeficiente de Spearman para investigar a correlação entre variáveis. Resultados: O maior número de casos ocorreu em 2007, 23,5% (46) casos, a faixa etária predominante foi entre 0-2 anos. Parte das crianças, 47,96% (94), era desnutrida e 47,4% e 49% apresentaram diarreia e emagrecimento, respectivamente. Manifestações clínicas: febre, esplenomegalia e hepatomegalia. A duração média de incubação da doença e hospitalização foi de 37,7 e 22,2 dias, respectivamente.  Os dados não apresentaram correlação significante entre incubação da doença e internamento com as variáveis idade e peso. Conclusão: Embora a incidência de casos de LV seja decrescente com o decorrer dos anos, observa-se, ainda que a quantidade de crianças acometidas pela LV ainda é preocupante devido à suscetibilidade dessa faixa etária.