WOMEN’S SEXUAL HEALTH FROM A CULTURAL VIEWPOINT

WOMEN’S SEXUAL HEALTH FROM A CULTURAL VIEWPOINT
QR Code

WOMEN’S SEXUAL HEALTH FROM A CULTURAL VIEWPOINT

Objetivo: Conhecer os temas abordados nas publicações nacionais sobre saúde sexual feminina e identificar os aspectos culturais e sociais contemplados. Método: Pesquisa bibliográfica descritiva-analítica realizada nas bases de dados da Biblioteca Virtual de Saúde, utilizando como critérios: publicaç...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Vilma Villar Martins
Other Authors: Lucia Helena Garcia Penna;
Maria Angela Boccara de Paula;
Lícia Maria Accioly Lima;
Luciane Marques de Araujo
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1981
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 5, No 1 (Year 2013).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2013.v5i1.3360-3374
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivo: Conhecer os temas abordados nas publicações nacionais sobre saúde sexual feminina e identificar os aspectos culturais e sociais contemplados. Método: Pesquisa bibliográfica descritiva-analítica realizada nas bases de dados da Biblioteca Virtual de Saúde, utilizando como critérios: publicações nacionais, período de 2000 a 2011, textos completos envolvendo a população feminina. Mediante revisão integrativa da literatura, analisaram-se doze publicações. Resultados: A interface entre a saúde sexual feminina e os aspectos culturais está refletida no comportamento, atitudes e modos de vida. A vulnerabilidade a que as mulheres estão expostas tem origem em diversas naturezas, representam variadas culturas e, por vezes, se concretizam por meio da aquisição de Doenças Sexualmente Transmissíveis, gravidez indesejada e violência. Conclusão: Ao atualizar o conhecimento sobre os fatores que interferem no cuidado à saúde sexual das mulheres, fica evidente a urgência de uma atenção à saúde sexual menos tecnicista e de caráter mais emancipatório.