MATRIX SUPPORT IN MENTAL HEALTH: THE PERCEPTION OF PROFESSIONAL IN TERRITORY

MATRIX SUPPORT IN MENTAL HEALTH: THE PERCEPTION OF PROFESSIONAL IN TERRITORY
QR Code

MATRIX SUPPORT IN MENTAL HEALTH: THE PERCEPTION OF PROFESSIONAL IN TERRITORY

Objetivo: investigar a percepção dos profissionais de saúde acerca da articulação entre os serviços de um mesmo território, na perspectiva do cuidado ao portador de transtorno mental. Métodos: Pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa, desenvolvida no município de Caicó/RN, sendo entrevistados 1...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Dulcian Medeiros de Azevedo
Other Authors: Marianna Cristina Sizenando Maia Gondim;
Danielle Souza Silva
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/1951
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 5, No 1 (Year 2013).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2013.v5i1.3311-3322
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivo: investigar a percepção dos profissionais de saúde acerca da articulação entre os serviços de um mesmo território, na perspectiva do cuidado ao portador de transtorno mental. Métodos: Pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa, desenvolvida no município de Caicó/RN, sendo entrevistados 12 profissionais de saúde em abril de 2011. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (Parecer nº 127/10). Resultados: A maioria dos sujeitos era do sexo feminino (75%), e 50% com idade entre 21 e 29 anos. Além disso, 75% afirmaram nunca ter trabalhado em outro serviço de saúde mental. Foram criadas três categorias: Apoio matricial sob a ótica do encaminhamento; A medicalização dos serviços de saúde mental e ESF; e Formação acadêmica e o processo de trabalho em saúde. Conclusão: Os serviços de saúde pesquisados desenvolvem um cuidado fragmentado e pouco articulado, além de não reconhecerem o matriciamento como prática do processo de trabalho em saúde.