Systematization of nursing in preventing infections in intensive care unit

Systematization of nursing in preventing infections in intensive care unit
QR Code

Systematization of nursing in preventing infections in intensive care unit

OBJETIVO: identificar possíveis interfaces entre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a prevenção de infecções em Unidade de Terapia Intensiva. MÉTODOS: Foi realizada por meio de observação direta da realidade, em uma Unidade de Terapia Intensiva, no Estado do Rio Grande do Norte. No cont...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Amélia Carolina Lopes Fernandes
Other Authors: Deivson Wendell da Costa Lima;
Lais Cristina da Silva Lima;
Luana Kátia Santos Oliveira;
Alcivan Nunes Vieira
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/2906
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 6, No 4 (Year 2014).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2014.v6i4.1580-1589
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: OBJETIVO: identificar possíveis interfaces entre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a prevenção de infecções em Unidade de Terapia Intensiva. MÉTODOS: Foi realizada por meio de observação direta da realidade, em uma Unidade de Terapia Intensiva, no Estado do Rio Grande do Norte. No contexto estudado, por vezes, a SAE foi realizada desconsiderando as especificidades de cada paciente, em se tratando da prevenção de infecções. Durante a admissão no setor, e na elaboração do histórico do paciente, os fatores de risco individuais para a ocorrência de infecções não foram pesquisados. RESULTADOS: Durante a realização do exame físico e do plano de cuidados, alguns princípios de assepsia não foram respeitados. A SAE na UTI estudada é incipiente, e suas etapas atendem mais às rotinas institucionais do que às necessidades de cuidado dos pacientes. CONCLUSÃO: É possível articular à SAE à prevenção e controle de infecções, agregando-a ao cuidado de enfermagem.