Access and communication of deaf adults: a voice silenced in health services

Access and communication of deaf adults: a voice silenced in health services
QR Code

Access and communication of deaf adults: a voice silenced in health services

Objetivo: Investigar o acesso e a comunicação de adultos surdos nos serviços de saúde. Método: Estudo descritivo, realizado de março/2011 a julho/2012 em uma escola de audiocomunicação, localizada em Campina Grande/PB, Brasil. Participaram 36 sujeitos que responderam um questionário sobre acesso e c...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Jamilly da Silva Aragão
Other Authors: Isabella Medeiros de Oliveira Magalhães;
Alexsandro Silva Coura;
Arthur Felipe Rodrigues Silva;
Giovanna Karinny Pereira Cruz;
Inacia Sátiro Xavier de França
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/2989
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 6, No 1 (Year 2014).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2014.v6i1.1-7
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivo: Investigar o acesso e a comunicação de adultos surdos nos serviços de saúde. Método: Estudo descritivo, realizado de março/2011 a julho/2012 em uma escola de audiocomunicação, localizada em Campina Grande/PB, Brasil. Participaram 36 sujeitos que responderam um questionário sobre acesso e comunicação nos serviços de saúde, sendo os dados analisados no SPSS. Resultados: Verificou-se que 75% dos surdos acessam o serviço médico e, 88,9%, o odontológico, sendo as instituições públicas as mais acessadas (53,1%). Os principais fatores que motivaram 25% não buscarem serviços de saúde foram: não precisar (88,8%) e não ter ninguém para acompanhar (44,4%). Todos referiram dificuldade de comunicação com os profissionais de saúde, sendo o auxilio de um familiar (86,1%) a alternativa mais utilizada. Conclusão: O acesso dos surdos nos serviços de saúde é permeado por dificuldades, sendo a dificuldade da comunicação não verbal um dos principais fatores que fragiliza a inclusão desses sujeitos.