EPIDEMIOLOGICAL PROFILE OF PRIMARY BLOODSTREAM INFECTIONS IN NEONATAL INTENSIVE CARE UNIT

EPIDEMIOLOGICAL PROFILE OF PRIMARY BLOODSTREAM INFECTIONS IN NEONATAL INTENSIVE CARE UNIT
QR Code

EPIDEMIOLOGICAL PROFILE OF PRIMARY BLOODSTREAM INFECTIONS IN NEONATAL INTENSIVE CARE UNIT

Objetivo: descrever o perfil epidemiológico das infecções primárias de corrente sanguínea associadas ao cateter venoso central na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital no Rio de Janeiro no ano de 2010. Método: estudo descritivo e retrospectivo. Foi elaborado um banco de dados no progr...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Camilla Ferreira Catarino
Other Authors: Ariane Carolina Dos Santos Marins;
Ana Paula Alencar Macário da Silva;
Aline verônica Oliveira Gomes;
Maria Aparecida de Luca Nascimento
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/2013
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 5, No 1 (Year 2013).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2013.v5i1.3229-3237
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivo: descrever o perfil epidemiológico das infecções primárias de corrente sanguínea associadas ao cateter venoso central na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital no Rio de Janeiro no ano de 2010. Método: estudo descritivo e retrospectivo. Foi elaborado um banco de dados no programa Epi_info para indexação dos dados e posterior análise. Resultados: 16 recém-nascidos (RN) evoluíram para IPCS associadas ao CVC; 66,7% eram pré-termos e 92,3% receberam nutrição parenteral.  O cateter de inserção periférica foi o mais utilizado (55,6%), seguido do cateter umbilical venoso com 22,2%. Dos microrganismos isolados 42,8% eram Staphylococcus Coagulase Negativo, 28,5% eram Staphylococcus aureus e 14,2% eram Candida Albicans. Conclusão: Percebeu-se que condições relacionadas ao RN, à gestação e ao CVC são fatores que predispõem esta clientela, o que reforça a necessidade de programas específicos de prevenção e controle de IPCS.