THE BODY LANGUAGUE OF THE PERSON IN COMA: AN EXPERIMENTAL RESEARCH ON NURSING CARE

THE BODY LANGUAGUE OF THE PERSON IN COMA: AN EXPERIMENTAL RESEARCH ON NURSING CARE
QR Code

THE BODY LANGUAGUE OF THE PERSON IN COMA: AN EXPERIMENTAL RESEARCH ON NURSING CARE

Objetivos: registrar os signos e sinais identificados como linguagem do corpo do cliente em coma no CTI decorrentes dos cuidados de Enfermagem e discutir as implicações dos dados produzidos decorrentes dos cuidados de Enfermagem com o corpo do cliente em coma. Métodos: pesquisa experimental com abor...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online
Main Author: Gunnar Glauco De Cunto Taets
Other Authors: Nebia Maria Almeida de Figueiredo
Palabras clave:
Traslated keyword:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/616
Resource type: Journal article
Source: Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online; Vol 3, No 1 (Year 2011).
DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2011.v3i1.%p
Publisher: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial - SinObraDerivada (by-nc-nd)
Subjects: Applied Sciences --> Nursing
Abstract: Objetivos: registrar os signos e sinais identificados como linguagem do corpo do cliente em coma no CTI decorrentes dos cuidados de Enfermagem e discutir as implicações dos dados produzidos decorrentes dos cuidados de Enfermagem com o corpo do cliente em coma. Métodos: pesquisa experimental com abordagem quanti-qualitativa. Os procedimentos escolhidos foram: a técnica do Banho no Leito, da Higiene Oral e da Higiene Íntima.Resultados: A população do estudo foi composta por 30 sujeitos.  Um dado relevante, que emerge da linguagem do corpo do cliente, é que 100% dos sujeitos pesquisados apresentaram algum tipo de expressão em seu corpo indicativo de significante indo desde um piscar de olhos ou um movimento de lábios até o “silêncio” do corpo, uma vez que até mesmo o “silêncio” pode ser entendido como o não dito visto do interior da linguagem. Conclusão: Concluímos que a pessoa em coma fala através de significantes entendidos como expressões do corpo e, através de sinais como os registros da fisiologia interna do corpo que se mostra nos monitores das máquinas ligadas a ele.