Fatores associados às lesões de atletas do Brazilian Jiu-Jitsu no Vale do Paraíba Paulista

Fatores associados às lesões de atletas do Brazilian Jiu-Jitsu no Vale do Paraíba Paulista
QR Code

Fatores associados às lesões de atletas do Brazilian Jiu-Jitsu no Vale do Paraíba Paulista

O presente estudo verificou os fatores associados às lesões de atletas do Brazilian Jiu-Jitsu no Vale do Paraíba Paulista. Participaram do estudo 129 masculinos atletas BJJ, com idade 30,1 ± 7,6 anos, tempo de prática 99,4 ± 71,8 meses, correspondendo: 30% faixa preta, 13% faixa marrom, 22% faixa ro...

Full abstract

Saved in:
Journal Title: RBPFEX. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício
Main Author: José Eduardo da Silva
Other Authors: Júlio Cesar Voltolini;
Carlos Eduardo César Mine
Palabras clave:
Language: Portuguese
Get full text: http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1014
Resource type: Journal article
Source: RBPFEX. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício; Vol 10, No 60 (Year 2016).
Publisher: Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício
Usage rights: Reconocimiento - NoComercial (by-nc)
Subjects: Sciences --> Biology
Applied Sciences --> Reproductive Biology
Abstract: O presente estudo verificou os fatores associados às lesões de atletas do Brazilian Jiu-Jitsu no Vale do Paraíba Paulista. Participaram do estudo 129 masculinos atletas BJJ, com idade 30,1 ± 7,6 anos, tempo de prática 99,4 ± 71,8 meses, correspondendo: 30% faixa preta, 13% faixa marrom, 22% faixa roxa, 25% faixa azul e 10% faixa branca. Utilizou-se um questionário para coletar dados referentes a lesões sobre a classe de peso do adversário, tipo de golpe, graduação do adversário, o ambiente, a causa, golpe aplicado e consequência da lesão. Os resultados apontaram que a região do joelho com 24,77% sofreu maior incidência de lesão, seguida da articulação do ombro 14,16%. Em relação aos golpes aplicados durante a lesão, pode-se constatar maior prevalência de lesão ocorreu através do golpe Arm Lock, seguido dos golpes Mão de Vaca e Leg Lock, correspondendo a 22,32%, 20,54% e 13,39%. A classe de peso do adversário apresentou uma frequência de lesão 8,11% para adversário mais leve, 37,84% para adversário mais pesado e 54,05% para o mesmo peso. Quanto à graduação adversária, verificou-se que as lesões aconteceram com atletas mais graduados 49,09%, seguidas de atletas menos graduados 27,27% e mesma graduação 23,64%. Observou-se 29,2% lesões graves, 28,31% lesões moderada e 30,97% lesões leves nos treinos. No entanto, o ambiente competitivo as lesões leves corresponderam a 2,65% e graves 7,96%, não sendo relatadas lesões moderadas. ABSTRACT Frequency of injuries of the Brazilian Jiu-Jitsu athletes in Vale of Paraiba Paulista and its associated factorsThe present study investigated the factors associated with injuries of Brazilian Jiu-Jitsu athletes in the Vale do Paraíba Paulista. The study included 129 male BJJ athletes, with aged 30.1 ± 7.6 years, practice time 99.4 ± 71.8 months, corresponding 30% black belt, 13% brown belt, purple belt 22%, 25% blue belt and 10% white belt. Utilized a questionnaire to collect data on injuries on the opponent's weight class, type of blows, opponent's graduation, the environment, cause, applied blow and injury outcome. The results indicated that the knee region with 24.77% suffered higher incidence of injury followed the shoulder joint 14.16%. In relation to blows applied during the injury, it can be evidenced most prevalent injury occurred through Arm Lock blow, followed by blows Cow Hand and a Leg Lock, corresponding to 22.32%, 20.54% and 13.39%. The opponent's weight class had an injury rate of 8.11% for lighter opponent, 37.84% for heavier opponent and 54.05% for the same weight. As the opposing graduation, it was found that the injuries occurred with 49.09% athletes more graduation, followed by 27.27% athletes less graduation and 23.64% the same graduation. It was observed 29.2% serious injury, 28.31% moderate injuries and 30.97% light injuries in training. However, light injuries corresponded in the competitive environment to 2.65% and 7.96% severe, moderate injuries don't were reported.